Foto: Divulgação

Camilo encontra Lula em São Paulo, chama ele de “amigo” e pede diálogo e respeito no país

O governador Camilo Santana divulgou nas redes sociais fotos do encontro dele em São Paulo com o ex-presidente Lula, solto ontem (8), após STF derrubar a prisão em 2ª instância. Na postagem, Camilo chama o petista de “amigo”, diz que a intolerância e o ódio são o “pior caminho” e pede diálogo e respeito no país, independente de posições partidárias.

Camilo Santana embarca para São Paulo e participará de ato político com o ex-presidente Lula

O governador Camilo Santana (PT) embarcou por volta das 6h de hoje, em voo da Latam, para São Paulo. Logo mais, ao meio-dia, ele participa de ato político com o ex-presidente Lula em São Bernardo do Campo. Segundo sua assessoria, o governador custeou as próprias despesas.

‘Com certeza terá uma influência nas eleições do Brasil’, diz Camilo sobre soltura de Lula

Não tenho dúvida que é uma das maiores lideranças que esse país tem. Com certeza, terá uma influência nas eleições do Brasil

Camilo Santana, governador do PT sobre possibilidade de soltura do ex-presidente Lula, após STF derrubar prisão de condenados em 2ª instância.

Sobre queda da prisão em 2ª instância: “decisão judicial a gente respeita”, diz ministro de Bolsonaro

“Isso é uma pauta judiciária e eu aprendi desde cedo: decisão judicial, concorde ou não, a gente respeita e eu tenho respeito pelo STF”

General Luiz Eduardo Ramos, ministro da Secretaria de Governo, sobre decisão do STF que derrubou a prisão em 2ª instância e pode soltar o ex-presidente Lula

Foto: Pedro França/Agência Senado

Senadores cearenses assinam carta a favor da prisão em segunda instância

Os senadores cearenses Tasso Jereissati (PSDB) e Eduardo Girão (Podemos) são signatários de carta a favor da prisão após condenação em segunda instância. Quem coleta assinaturas é o senador Lasier Martins (Podemos-RS). O texto será entregue ao presidente do STF, Dias Toffoli, e ao PGR, Augusto Aras, às vésperas da retomada do julgamento do Supremo que pode mudar o entendimento da Justiça sobre prisão em segunda instância.