Foto: Agência Brasil

Cid Gomes e outros seis ex-ministros da Educação debatem futuro da área pós-pandemia

Sete ex-ministros da Educação do Brasil discutirão o tema “educação no pós-pandemia”, hoje (29), às 18h, no 6º Webinar da Coalização Parlamentar pela Educação. São eles Hugo Napoleão (1987-1989), Cristovam Buarque (2003-2004), Henrique Paim (2014-2015), Cid Gomes (2015), Renato Janine (2015), Mendonça Filho (2016-2018) e Ricardo Vélez (2019).

Foto: José Leomar

‘Há um colapso econômico e uma incapacidade política de abrir diálogo sobre um novo desenho para o País’, diz Ciro Gomes

“Há um colapso econômico e uma incapacidade política de abrir diálogo sobre um novo desenho para o País. Nessa pandemia, agora, o Brasil teve que importar respiradores, máscaras, aventais da China porque o País não tem condições de produzir (em grande escala)”

Ciro Gomes (PDT), ex-governador, durante o Seminário de Gestores Públicos, realizado pelo Sistema Verdes Mares.

Foto: Senado

Senador propõe prorrogar mandato de reitores ou promover eleição virtual durante a pandemia

O senador Cid Gomes (PDT) apresentou projeto de lei que altera a escolha de reitores das universidades públicas em situações de calamidade. Uma das alternativas é prorrogar o mandato quando não for possível realizar consulta no meio acadêmico. Outra é realizar a consulta por meio eletrônico. O objetivo é barrar tentativa de promover trocas unilaterais.

Foto: Divulgação

O Parlamento e o Judiciário tem que reagir às ações de Bolsonaro, diz senador cearense

“Nós temos que impor algumas reações a isso. O Parlamento tem feito isso, corrigido estes erros. O que o Congresso e o Judiciário tem que fazer medidas de contenção de danos, e também simbólicas. Temos que começar a fazer atos formais de reprimenda”.

O senador Cid Gomes comentava a incitação, por parte do presidente, a invasão de hospitais nos municípios.

Foto: Thiago Gadelha

Atritos: Cid Gomes diz que críticas ao PT servem para Ciro se consolidar como alternativa

Indagado sobre as frequentes críticas de Ciro Gomes ao PT e ao ex-presidente Lula, o senador Cid Gomes (PDT) explicou que, para o Ciro “se consolidar como alternativa para o futuro do Brasil, ele tem que se diferenciar do Bolsonaro, mas também do PT”. Ele aproveitou para criticar ainda a direção nacional da legenda petista, que segundo ele “se corrompeu”.

“Jair Bolsonaro pode fazer um bem para o Brasil”, diz Cid Gomes

“Jair Bolsonaro pode fazer um bem para o Brasil. O gueto nazista, fascista, egoísta, direitista e doente tem que voltar a ter vergonha de expressar suas opiniões”

Escreveu o senador Cid Gomes (PDT) no início da tarde de hoje, no Twitter, após a prisão da ativista Sara Winter, líder de um grupo que se define como militância organizada de direita.

Cid Gomes diz ser “pessoalmente” contra o impeachment de Bolsonaro

O senador Cid Gomes (PDT) afirmou, em entrevista ao UOL nesta segunda-feira (15), ser pessoalmente contra o impeachment de Jair Bolsonaro. Segundo ele, “a democracia, para se reorganizar, tem que aguentá-lo”. Cid ressaltou que, no entanto, é possível que o impedimento passe a se justificar caso sejam comprovados crimes graves do presidente.

Após licença, senador Cid Gomes reassume mandato no Senado

O senador licenciado Cid Gomes (PDT) anunciou, por meio de suas redes sociais, que reassume o mandato no Senado a partir deste sábado (11). Ele havia tirado licença de 120 dias em dezembro do ano passado para tratar de articulações do PDT para as eleições deste ano. Com o retorno do senador à Casa, o empresário Prisco Bezerra volta para a suplência.

Foto: José Leomar

“Um ato tresloucado e criminoso”, diz Heitor Férrer sobre ato de Cid Gomes

“O que o senador fez foi um ato tresloucado e criminoso. Ele dirige uma retroescavadeira e destrói um equipamento público cheio de seres humanos”

Deputado Heitor Férrer, na Assembleia Legislativa Histórico opositor do Governo Cid, Férrer pontuou que “em hipótese nenhuma defende greve de polícia” e condenou os disparos, mas afirmou que “o tiro está suavizando o crime de Cid”.

Foto: José Leomar

Presidente da Assembleia Legislativa inicia sessão com repúdio ao movimento de policiais após tiros em Cid Gomes

O presidente da Assembleia Legislativa, José Sarto (PDT), abriu a sessão plenária de hoje repercutindo os fatos políticos de ontem. Para o presidente, o senador Cid Gomes “foi vítima de um ato covarde”. Ele criticou ainda a paralisação dos policiais: “a população está observando quem está colocando seus interesses acima dos da população cearense”.