-  

Reunião entre Fundo Soberano e governadores do Nordeste é adiada para quinta-feira (10)

Nesta terça-feira (8), técnicos do Consórcio Nordeste e o Fundo Soberano Russo se reuniram para adaptar o contrato de compra da Sputnik V às exigências da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). As mudanças devem ser comunicadas em reunião entre os governadores do Nordeste e o Fundo Soberano, agendada para a próxima quinta-feira (10).

  -  

Estados do Nordeste e da Amazônia Legal discutem regras de aplicação da Sputnik V com a Anvisa

O secretário de Saúde do Ceará, Dr. Cabeto, participou, nesta segunda-feira (7), de reunião da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) com representantes dos estados do Nordeste e da Amazônia Legal sobre as regras para aplicação da Sputnik V no Brasil. O foco da reunião foi discutir as responsabilidades dos estados no uso do imunizante russo.

  -  

Governador do Ceará comemora aprovação da importação da Sputnik V pela Anvisa

“Boa notícia para os cearenses e demais estados. A Anvisa aprovou há pouco a importação e distribuição da vacina Sputnik V. Mesmo de forma ‘excepcional e controlada’, com ainda pequena quantidade de doses liberadas, a aprovação já representa um avanço”.

Governador Camilo Santana comemorou, em publicação no Twitter, aprovação da importação da Sputnik V.

Foto: Reprodução
  -  

Governadores pedem pressa à Anvisa em testes de produção de insumos para vacina

O Fórum de Governadores enviou, nesta sexta (4), ofício para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pedindo celeridade na fase de testes da produção de insumos para a fabricação da vacina Oxford/Astrazeneca pela Fiocruz. Além disso, eles também solicitam rapidez na avaliação para a aprovação de fases de testes da vacina Butanvac.

Foto: AFP
  -  

Consórcio Nordeste pede documentos analisados pela Anvisa para negar uso da Sputnik V no Brasil

O Consórcio Nordeste solicitou, nesta quinta-feira (29), à Anvisa os documentos analisados para negar a utilização da vacina contra a Covid-19 Sputnik V. O Consórcio assinou um termo de compra de 39 milhões de doses do imunizante, mas não pode importá-las por conta da rejeição da Agência ao uso emergencial.

  -  

Camilo vai ao STF para que Anvisa acelere liberação da Sputnik V; Ceará comprou 5,8 milhões de doses

O governador Camilo Santana (PT) informou nesta segunda-feira (12), que ajuizará ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para que a Anvisa libere as 5,87 milhões de doses da vacina Sputnik V, compradas pelo Governo do Estado. O imunizante é 91,6% eficaz. “Iremos a todas as instâncias para que as vacinas cheguem o mais rápido possível”, disse.

Foto: Thiago Gadelha
  -  

“É um absurdo que a Anvisa esteja retardando esse processo”, diz Camilo sobre liberação da Sputnik V

O governador Camilo Santana (PT) voltou a criticar a demora da Anvisa em aprovar a autorização para uso emergencial da vacina russa Sputnik V no Brasil. “É um absurdo que a Anvisa esteja retardando, lamentavelmente, esse processo”, disse. O petista ressaltou que o imunizante é utilizado em 58 países. O Ceará comprou 5,87 milhões de doses da vacina.

  -  

Em reunião com diretores da Anvisa, Camilo Santana pressiona pela liberação da vacina Sputnik V

Em encontro entre governadores e a diretoria da Anvisa, nesta terça-feira (6), o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), fez apelo à agência para que acelere a aprovação da vacina russa Sputnik V. O Ceará comprou 5,87 milhões de doses. “É inadmissível essa demora para aprovar a vacina, que já está sendo aplicada em dezenas de países”, disse.

Foto: Reprodução
  -  

Camilo se reúne com Anvisa para tratar de liberação da Sputnik V; Ceará comprou 5,8 milhões de doses

O governador Camilo Santana (PT) e outros governadores do País se reúnem com a Anvisa, na tarde desta terça-feira (6), para tratar da liberação do uso da vacina russa Sputnik V no Brasil. O Ceará adquiriu 5,8 milhões de doses do imunizante, mas há pendências na documentação enviada pela empresa representante da vacina no Brasil. Isso está atrasando a análise da Anvisa.

  -  

Senado discute distribuição de oxigênio a estados, e Anvisa cobra repasse de dados por empresas

Edital da Anvisa determina que empresas da cadeia de oxigênio repassem dados sobre demanda e produção às quartas-feiras. Até a manhã desta quinta, 32 das 47 empresas oficiadas cumpriram a determinação. A distribuição de oxigênio a alguns estados, dentre eles o Ceará, foi discutida na Comissão da Covid-19 no Senado.  A instalação de miniusinas nos hospitais é alternativa, disse Meiruze Freitas, diretora da Anvisa.

Foto: Reprodução