-  

PontoPoder Cafezinho: Podcast entrevista candidato Renato Roseno

O podcast PontoPoder Cafezinho entrevistou, nesta quarta-feira (28), o candidato à Prefeitura de Fortaleza, Renato Roseno, do Psol. Ele é o terceiro convidado do ciclo de entrevistas feito em parceria com a Verdinha AM 810. As entrevistas serão divulgadas de segunda a sexta. Confira aqui:

  -  

Renato Roseno promete realizar concursos públicos e reduzir terceirizações

Em entrevista à Verdinha 810 AM, Renato Roseno afirmou que pretende reduzir as terceirizações e promover concursos públicos, sobretudo, na área da saúde. O candidato do Psol argumentou que os gastos com os terceirizados são superiores as despesas da Prefeitura de Fortaleza com a realização de concursos e manutenção dos servidores públicos.

Foto: Thiago Gadelha
  -  

“Um governo que cabe um monte de gente”, diz Roseno ao justificar oposição a Camilo

“Nós somos oposição ao Governo Camilo porque é um governo que cabe um monte de gente, um governo que cabe uma base fundamentalista, um governo gigantesco, tanto é que a sua própria base está brigando aqui em Fortaleza”

Candidato do Psol à Prefeitura de Fortaleza, Renato Roseno, em entrevista à rádio Verdinha AM 810 na manhã desta quarta-feira (28).

Foto: Thiago Gadelha
  -  

Entrevista: Renato Roseno (Psol), candidato à Prefeitura de Fortaleza, fala sobre propostas

O candidato à Prefeitura de Fortaleza Renato Roseno (Psol) é o entrevistado da vez na Verdinha. Acompanhe:

  -  

Renato Roseno defende rearborização de Fortaleza a partir de matas nativas

Renato Roseno (Psol) participou de caminhada no bairro Guajiru, na manhã deste domingo (25). O candidato aproveitou para visitar a Floresta do Curió, onde defendeu a rearborização da cidade. “Iremos fazer a arborização a partir de matas nativas”, explicou. Além disso, ele reforçou a necessidade de investimento em saneamento básico na Capital.

  -  

Renato Roseno encontra educadores e critica “supressão de direitos” e “exploração do sistema”

Em encontro com educadores, neste sábado (24), o candidato Renato Roseno (Psol) criticou a “nova razão ultraliberal”. “Estamos atravessando uma longa noite, e ela fez com que muitas sociedades mergulhassem em trajetórias de supressão de direitos, de flexibilização de relações e de maior nível de exploração do sistema em relação às classes trabalhadores.”

Foto: Divulgação
  -  

Renato Roseno defende programa de prevenção aos homicídios em Fortaleza

O candidato à Prefeitura de Fortaleza Renato Roseno (Psol) panfletou, nesta sexta (23), em frente a um shopping. Ele falou sobre Segurança e defendeu um programa de prevenção aos homicídios nos bairros mais violentos da cidade. “Com reinserção escolar, cultura, lazer, medição de conflito. Vai ser um programa dentro do gabinete em contato com várias pastas”.

  -  

“Nem bolsonarismo, nem hegemonismo, nem retrovisor”, alfineta Renato Roseno sobre adversários

“Quero convidar as pessoas a iniciar um novo ciclo político para Fortaleza, que nem seja do bolsonarismo nem do hegemonismo nem do retrovisor, do ‘de volta ao passado’. Nós precisamos arrancar ao futuro agora”.

Renato Roseno (Psol) alfinetou adversários. Ele afirmou, contudo, que o “adversário central” é a “violência política vinda do bolsonarismo”.

Foto: Thiago Gadelha
  -  

Renda básica: Renato Roseno propõe fontes de recursos para programa de transferência de renda

Em entrevista ao PontoPoder Eleições, Renato Roseno (Psol) detalhou proposta de renda básica na Capital. Ele explicou que pretende utilizar duas fontes de recursos para um programa de transferência de renda: operações de crédito e a arrecadação do Município. Roseno ressaltou ainda a importância da renda básica para o estímulo ao comércio local.

Foto: Thiago Gadelha
  -  

Entrevistado do PontoPoder Eleições desta segunda (19), Renato Roseno critica desigualdade do sistema eleitoral

Renato Roseno (Psol) é o entrevistado desta segunda-feira (19) do PontoPoder Eleições, que começa mais cedo, às 21h49. O candidato chegou aos estúdios do Sistema Verdes Mares e avaliou a campanha na Capital. “O sistema eleitoral é um sistema muito desigual“, criticou. Ele explica que compensa o pouco tempo de TV com a campanha na internet  e militância nas ruas.

Foto: Thiago Gadelha