-  

Análise: impasses tumultuam início de legislatura na Câmara Municipal

Além do tumulto causado ontem (10) pela análise de emendas à Lei Orgânica para mudar pontos da previdência municipal, as lideranças do Legislativo terão que superar impasses que estão travando o início da atual legislatura. Leia análise de Inácio Aguiar.

Foto: Helene Santos
  -  

Análise: Oposição tenta se articular em contexto de baixas na Câmara para próxima legislatura

A oposição já se articula na Câmara Municipal para ocupar espaços estratégicos e fazer o embate a Sarto Nogueira. O que já se pode constatar é que o grupo está menor em relação ao resultado das urnas, com pelo menos dez nomes, e não 12 como era esperado. Outro desafio é articulação entre os grupos que compõe a oposição, já que há vereadores mais a direita e outros mais à esquerda. Leia análise.

Foto: José Leomar
  -  

Análise: Ao chegar à Presidência da Assembleia, Evandro Leitão entra em novo patamar no governismo

O deputado Evandro Leitão será o novo Presidente da Assembleia Legislativa, como antecipou a Coluna Poder na última sexta-feira (8). A articulação do nome dele foi realizada pelo grupo governista sob o comando de Sarto Nogueira. Ao chegar ao posto, ele entra em novo patamar no grupo governista que costuma valorizar ocupantes do cargo. Leia análise de Inácio Aguiar.

Foto: José Leomar
  -  

Análise: Sucessão na Assembleia e a estratégia para 2022

A sucessão de Sarto (PDT) na presidência da Assembleia Legislativa do Estado é o assunto mais comentado na política cearense. O chefe do Legislativo é o terceiro na linha de sucessão do Estado, atrás de Camilo Santana e Izolda Cela, sendo, por isso, um posto estratégico em qualquer cenário, inclusive 2022. Há muita especulação, mas nada definido. Confira análise de Inácio Aguiar.

Foto: José Leomar
  -  

Análise: Vitória consolida o PDT na Capital; oposição também sai fortalecida das urnas

O resultado das urnas do último domingo (29), com a eleição de Sarto Nogueira para prefeito de Fortaleza, mostra um paradoxo para o grupo governista. Será o terceiro mandato seguido na Capital, o que é significativo, mas o resultado da oposição foi considerável e pode apontar para um horizonte de debate político mais acirrado para a eleição de 2022. Confira a análise de Inácio Aguiar.

Foto: Helene Santos
  -  

Análise: Naumi lidera disputa em Caucaia mesmo com oposição unida

Após a definição do 2° turno em Caucaia, a oposição se reuniu em torno do candidato Vitor Valim (Pros). A união de forças, porém, parece não ter surtido o efeito esperado na transferência de votos, conforme a pesquisa Ibope. No levantamento, Naumi Amorim (PSD) aparece com 62% das intenções de votos contra 38% de Valim. Confira análise de Inácio Aguiar.

  -  

Análise: O papel do vice e desconhecimento sobre os candidatos ao cargo na Capital

O histórico dos prefeitos e vices em Fortaleza mostra relações turbulentas desde a reabertura democrática. Apesar de o vice ser o primeiro na linha sucessória, os eleitores desconhecem os ocupantes do cargo, conforme a pesquisa Ibope. De alguma forma, as candidaturas se comunicam mal sobre os vices e, por outro lado, a população deixa isso em segundo plano. Leia a análise de Inácio Aguiar.

Foto: José Leomar/Camila Lima
  -  

Análise: troca de ataques entre candidatos deixa o eleitor em segundo plano

Os ataques trocados entre os candidatos à Prefeitura de Fortaleza está em tom de embate personalístico que acaba deixando de lado o eleitor. Enquanto os ataques se multiplicam, temas importantes para o futuro da cidade vão ficando em segundo plano, perdendo a chance de debater melhor as políticas públicas. Leia análise de Inácio Aguiar.

Foto: José Leomar
  -  

Análise: Ibope mostra desempenho dos finalistas do 2° turno em Fortaleza

Na reta final da campanha, a Pesquisa Ibope apontou, além da vantagem de 20 pontos de Sarto Nogueira sobre Capitão Wagner, a pesquisa indica que 70% dos eleitores de Luizianne Lins (PT) preferem o pedetista, enquanto 11% migraram para Wagner. Outro dado que tende a ser a favor de Sarto é a aprovação da gestão de Roberto Cláudio e a de Camilo Santana. Confira análise.

  -  

Segundo turno em Fortaleza destaca aliança no campo centro-esquerda; leia análise

A aliança entre o PT e PDT no segundo turno em Fortaleza é uma conquista interna de Camilo Santana, que defende a atuação conjunta dos partidos deste o início do ano. Caberá ao governador articular o nível de engajamento do PT a candidatura pedetista. Além da aliança com o PT, Sarto conta com mais duas sinalizações de apoio: Psol e PCdoB. Leia a análise de Inácio Aguiar.

Foto: Divulgação
  -  

PontoPoder Análise: MP investiga candidatos ‘fake’

Apesar do esforço em promover mudanças para equilibrar a disputa, há uma estrutura política que se ocupa em burlar as regras com o objetivo de se perpetuar no poder. Alguns destes casos, inclusive, consistem em candidaturas fantasmas e outros apenas com o objetivo de liberar recursos do fundo eleitoral. Leia aqui.

  -  

PontoPoder Análise: Ministério Público estuda novas ações para coibir aglomerações em atos de campanha

O desrespeito às normas sanitárias em campanhas eleitorais de diversos municípios chega a um nível preocupante. Neste momento, membros do Ministério Público estudam novas ações para coibir excessos. Com três semanas restantes de campanha, os atos se repetem, mesmo com a atuação da Justiça Eleitoral. Confira a Coluna PontoPoder Análise. Leia aqui.

  -  

Campanha entra em etapa de acirramento e embates entre candidatos

Em meio a farpas trocadas pelos principais personagens políticos, a terceira semana de campanha entra em etapa de acirramento e embates. Os grupos agora estão procurando atacar, mas também devem se preocupar com as defesas. A mudança de tom, como o editor de Política do SVM Inácio Aguiar escreveu na coluna Ponto Poder Análise, deve permanecer até o dia do pleito. Leia aqui.

Foto: José Leomar
  -  

Ponto Poder Análise: PCdoB propôs acordo com partidos de esquerda

Em entrevista ao Ponto Poder Eleições, Anízio Melo, candidato do PCdoB à prefeitura de Fortaleza, afirmou que o partido procurou organizar uma frente ampla com a esquerda. Diferenças entre PT e PDT teriam inviabilizado. Após isso, o candidato tomou a decisão de disputar o pleito por conta própria, diz a coluna Ponto Poder Análise. Leia aqui.

Foto: José Leomar