-  

Reajuste salarial de policiais militares pode ser votado na Assembleia ainda nesta semana

O projeto de lei do Executivo Estadual com o reajuste salarial dos policiais militares pode ser votado ainda nesta semana na Assembleia. Ontem, representantes da categoria e integrantes da Comissão dos três Poderes chegaram a um acordo, e a proposta vai a plenário sem alteração. Entretanto, a medida ainda precisa do aval da Mesa Diretora para ser votada.

Foto: Kid Junior
  -  

“Todos os PMs que se amotinaram cometeram crimes”, defende chefe do Ministério Público

O procurador geral de Justiça, Manuel Pinheiro, diz que todos os que participaram do motim de policiais militares no Ceará cometeram “crime militar”. Em entrevista ao portal Uol, Manuel Pinheiro disse que não se trata de tratar policiais como bandidos, “mas todas as pessoas que participaram desse motim cometeram crimes. Crimes militares”.

Foto: Thiago Gadelha
  -  

Prisco Bezerra propõe no Senado proibição de anistia a militares que participarem de motim

O senador Prisco Bezerra (PDT) quer vedar, por lei, a concessão de anistia a militares que tenham cometido crimes e ilícitos administrativos ligados à sindicalização ou greve. A proposta foi protocolada após o dep. Capitão Wagner (Pros) pedir, na Câmara, a anistia a policiais e bombeiros que participaram de movimento no Ceará.

  -  

Reestruturação salarial dos policiais só entrará em pauta após votação da PEC que proíbe anistia

Apesar de a proposta de reestruturação salarial de policiais e bombeiros militares do Estado já ter sido lida na Assembleia Legislativa, a continuidade da tramitação dela deve ocorrer apenas quando for finalizada a votação da PEC que proibe anistia administrativa para militares que façam motim. Pode ser ainda nesta semana.

  -  

Deputado pede vistas e PEC contra anistia a PMs só volta à discussão na segunda (2)

O deputado André Fernandes pediu vistas da PEC que proíbe anistia a militares em caso de greve. A proposta, apresentada pelo governador, volta a discussão na segunda-feira (2). Há duas emendas de deputados ao texto proposto por Camilo Santana.

  -  

Salmito tenta convencer André Fernandes a não pedir vistas na PEC da anistia, mas sem sucesso

O deputado André Fernandes vai pedir vistas da PEC contra a anistia a militares em greve, na CCJ. A discussão só volta em 48h, mas as sessões extraordinárias da Assembleia continuam para contar os prazos. O deputado Salmito Filho (PDT) ainda tentou convencer o colega a não pedir vistas, mas sem sucesso.

  -  

Assembleia aprova e PEC contra anistia a policiais vai tramitar com urgência na Casa

A Assembleia Legislativa do Ceará aprovou, neste momento, o pedido de urgência para a tramitação da Proposta de Emenda Constitucional que pretende proibir a concessão de anistia aos policiais que fizerem motim ou greve. O placar da votação foi 31 votos a favor da urgência e 3 votos contrários de André Fernandes (PSL), Soldado Noélio (Pros) e Vitor Valim(Pros).

Foto: Camila Lima
  -  

Deputado sugere que Estado deveria ter usado recursos gastos no Acquario para pagar policiais

Representante do policiais militares na Assembleia, o deputado Soldado Noélio (Pros) sugeriu, hoje, na Assembleia, que o Estado deveria ter usado os recursos gastos com o Acquario Ceará para melhorar as condições de trabalho dos policiais. Ele disse ter avisado da insatisfação da categoria. Noélio, antes do motim, fechou acordo com o Estado sobre o reajuste, mas a categoria o desautorizou.

Foto: Camila Lima
  -  

Para deputado, policiais militares que estão no motim “zombam do povo cearense”

“Estão zombando da população cearense. Não  sabem o que querem, desmoralizam os negociadores e insultam o Estado do Ceará”.

Deputado Romeu Aldigueri sobre o motim de policiais militares no Ceará. O parlamentar lembrou que, desde o início das reivindicações, os militares trocam os representantes e dificultam o diálogo.

Foto: Camila Lima
  -  

Assembleia lotada na manhã de sábado para analisar PEC que proíbe anistia a militare grevista

Com a presença de 35 dos 46 deputados estaduais presentes, a Assembleia Legislativa do Ceará tem um sábado atípico no dia de hoje. Os parlamentares estão reunidos para analisar, em sessão extraordinária, uma Proposta de Emenda Constitucional de autoria do governador que busca proibir, na Constituição Estadual, anistia a policiais que fizerem greve ou motim.

  -  

Com mandado de prisão em aberto, Cabo Sabino não é aceito como representante dos policiais em negociação

O ex-deputado federal Cabo Sabino tem um mandado de prisão em aberto, segundo o procurador geral de Justiça, Manuel Pinheiro. Por isso, não poderá participar das negociações com a comissão formadas pelo três poderes do Estado. O movimento pede que ele os represente nos diálogos, mas a comissão se recusa a dialogar com um interlocutor nesta condição.

Foto: JL Rosa
  -  

Impasse: militares desautorizam novo interlocutor e querem líderes do movimento na negociação

O advogado e coronel reformado do Exército, Walmir Medeiros, que havia sido indicado como o interlocutor dos policiais para dialogar com a comissão dos três poderes, foi desautorizado pela categoria. Os policiais agora querem que os líderes do movimento, Cabo Sabino e Nina, negociem diretamente as demandas. Há um impasse sobre a continuação do diálogo.

Foto: José Leomar
  -  

Governadores se articulam para enviar tropas ao Ceará caso presidente não renove a GLO

Governadores estão articulando para enviar tropas da Polícia Militar de cada estado para reforçar a segurança do Ceará. O envio será realizado caso o presidente Jair Bolsonaro negue a renovação da Garantia da Lei e da Ordem (GLO). O governo do Maranhão confirma a disposição de ajudar e informa que Rio de Janeiro, Piauí, Bahia, São Paulo e Pará também se prontificam.

Foto: Camila Lima
  -  

Deputado quer comissão religiosa para mediar acordo entre policiais militares e governo

Deputado estadual Apóstolo Luiz Henrique (PP) sugere que comissão religiosa com “ministros da reconciliação” possa agir para tentar mediar os conflitos entre policiais militares e governo. Ele sugere, inclusive, que a comissão tenha membros de várias igrejas.

Foto: José Leomar
  -  

Assembleia: pedido de CPI para investigar associações de militares não deve avançar por enquanto

Na Assembleia Legislativa, também segue em tramitação, mas sem avançar, o pedido de CPI feito por membros da base governista para investigar possíveis irregularidades nas Associações de policiais militares. O projeto está na procuradoria da Casa. Entre os parlamentares, entretanto, não há clima para a instalação agora.

Foto: José Leomar
  -  

Projeto de reestruturação salarial dos policiais segue na Assembleia, mas só avança após fim do movimento

O projeto de reestruturação salarial dos policiais militares e bombeiros continua contando os prazos de tramitação na Assembleia Legislativa, mas só deve avançar após o fim do movimento. O presidente da Casa, José Sarto, reforçou hoje (27) a determinação.

  -  

Comissão dos três Poderes se reúne com representante dos militares amotinados

A comissão formada por membros dos três poderes do Estado está reunida, neste momento, com o representante dos militares: coronel reformado do Exército e advogado Walmir Medeiros. Eles estão na sede do Ministério Público. O objetivo é reabrir o diálogo entre o movimento dos PMs e o governo para por fim à paralisação.

  -  

OAB-CE vai ficar responsável por reabrir o diálogo com movimento dos policiais militares

Caberá à Ordem dos Advogados do Brasil secção Ceará (OAB-CE) ser a responsável por buscar o diálogo com o movimento dos policais militares no Ceará. Um grupo de advogados coordenado pelo presidente estadual da ordem, Erinaldo Dantas, irá ao quartel do 18º Batalhão, no bairro Antônio Bezerra. A missão é trazer à mesa de negociação um interlocutor da categoria.

  -  

Para deputado, governador não deve ceder a “chantagens de grupos amotinados”

Deputados estaduais que integram a base do governador Camilo Santana (PT) consideram que o governador não deve ceder em relação à anistia aos militares amotinados. O deputado estadual Queiroz Filho (PDT) diz que não se deve ceder ao que chamou de “chantagem”. “Negociar com bandido é institucionalizar esse tipo de ato criminoso”.

Foto: José Leomar
  -  

“Me recuso a votar proposta debaixo de bala”, diz Guilherme Landim sobre reajuste de policiais

O deputado estadual Guilherme Landim (PDT) disse, na sessão de hoje, que não votará a proposta de reajuste salarial de policiais e bombeiros militares “debaixo de bala”. Ele reforçou ainda a cobrança por investigação à arrecadação milionária das associações da categoria, alvo de pedido da CPI.