-  

Camilo Santana pede que manifestantes respeitem decreto e não realizem atos no Ceará

“Sempre apoiarei o engajamento dos brasileiros em defesa da democracia. Mas sou absolutamente contra a realização de quaisquer atos nas ruas neste momento grave de pandemia. Há no Ceará um decreto que proíbe aglomerações e deve ser respeitado”.

Governador Camilo Santana (PT), sobre convocação de atos para este fim de semana.

  -  

‘Heitorzinho, me dá anuência para sair do PSL’, diz Delegado Cavalcante em ato na Praça Portugal

Durante a manifestação pela prisão em segunda instância na Praça Portugal, hoje (8), o deputado estadual Delegado Cavalcante (PSL) disse que, se pudesse, já tinha saído do PSL e dirigiu um pedido ao presidente da sigla no Ceará, deputado federal Heitor Freire (PSL): “Heitorzinho, me dá anuência para sair do PSL, que eu quero me livrar desse abacaxi“.

Foto: Isanelle Nascimento
  -  

Manifestantes protestam na Capital contra decisão do STF

Parte dos fortalezenses se encontrou, na tarde deste sábado (9), na Praça Portugal, em Fortaleza, para protestar contra a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), na quinta-feira (7), que proibiu prisão a condenados em segunda instância. O ex-presidente Lula, beneficiado com a decisão, foi um dos mais criticados no ato.

Foto: Helene Santos
  -  

Protesto convocado para a Praça Portugal pede veto ao projeto sobre abuso de autoridade

Grupos de direita no Ceará convocaram protesto neste domingo (25), na Praça Portugal, em Fortaleza, pedindo veto integral de Bolsonaro ao projeto de lei que trata do abuso de autoridade e o impeachment do presidente do STF, Dias Toffoli. A manifestação está marcada para 16h. O ato em Fortaleza não integra a lista de cidades do movimento Vem Pra Rua.

  -  

“Um Judiciário sem independência praticamente não existe”, diz vice-presidente da Ajufe

“Um Judiciário sem Independência praticamente não existe. Do jeito que a lei está, qualquer juiz que decretar uma prisão pode ser processado criminalmente pelo réu”.

Do vice-presidente da Ajufe, Júlio Coelho, sobre o projeto de Lei de Abuso de Autoridade, durante manifestação de juízes e promotores em Fortaleza. Eles querem veto do presidente Bolsonaro.

Foto: José Leomar
  -  

Marcha das Margaridas reúne cerca de 100 mil mulheres em Brasília; 2 mil cearenses

Em defesa dos direitos da mulher e do combate ao feminicídio, milhares de trabalhadoras do campo marcharam em direção ao Congresso Nacional nesta quarta (14). A Marcha, em homenagem à Margarida Maria Alves, líder sindical assassinada em 1983, ocorre desde 2000, a cada quatro anos. Dentre as cerca de 100 mil mulheres presentes, segundo a organização, duas mil são do Ceará.