-  

Por suspeita de fraude às cotas femininas, MP quer cassação de registro de candidatos em Mauriti

O Ministério Público Eleitoral entrou com três ações de investigação, nesta segunda-feira (7), contra o Pros, DEM e PDT de Mauriti. A promotoria alega que as siglas não cumpriram a cota feminina de 30% das candidaturas na eleição de 2020. O MPE pede a cassação e a anulação dos votos de todos os candidatos que concorreram à Câmara Municipal.

Foto: Diário do Nordeste