-  

Heitor Freire propõe projeto para anistiar policiais cearenses que fizeram paralisação em 2020

Através de um projeto de lei, o deputado federal Heitor Freire (PSL) quer anistiar os policiais militares cearenses que participaram da greve no ano passado. A categoria pedia melhorias nos vencimentos e condições de trabalho. A anistia é proposta para aqueles que não estiveram envolvidos em crimes graves ao longo do movimento, entre os meses de fevereiro e março de 2020.

Foto: Thiago Gadelha
  -  

Prisco Bezerra propõe no Senado proibição de anistia a militares que participarem de motim

O senador Prisco Bezerra (PDT) quer vedar, por lei, a concessão de anistia a militares que tenham cometido crimes e ilícitos administrativos ligados à sindicalização ou greve. A proposta foi protocolada após o dep. Capitão Wagner (Pros) pedir, na Câmara, a anistia a policiais e bombeiros que participaram de movimento no Ceará.

  -  

Líder do governo vai pedir quebra de interstício para votação de PEC da anistia

Para garantir que a segunda votação da PEC da anistia ocorra logo depois da primeira, o líder do governo na Assembleia, deputado Júlio César Filho (Cidadania), vai apresentar um pedido para quebra de interstício. Com isso, ele quebra o intervalo de 48 horas que precisaria ter entre as votações no 1º e 2º turno de uma emenda constitucional.

  -  

PEC contra anistia a policiais amotinados volta a ser analisada na CCJ da Assembleia

A discussão sobre a PEC que proíbe a concessão de anistia a policiais que participem de motins ou paralisações continua nesta segunda (2) na Assembleia. Há duas trocas na CCJ: Delegado Cavalcante (PSL) substitui André Fernandes (PSL) e Guilherme Landim (PDT) assume cadeira de Júlio César Filho (Cidadania). A expectativa é de votação amanhã (3) em plenário.

Foto: Luana Barros